Siga-me

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

O verbo


Conceito:

Observe no primeiro quadrinho que a mãe de Mafalda tem uma atividade para fazer: ir ao mercado.
Podemos concluir que o fato da mãe de Mafalda ir ao mercado trata-se de uma ação praticada por uma pessoa.

Agora, observe a tirinha abaixo:


No segundo balão, o amigo da Mafalda pegunta se o pai dela está doente. Perceba que o verbo dessa oração expressa um possível estado do pai dela. Porém ao ler a tirinha por inteiro, percebemos que, segundo Mafalda, quem se encontra doente não é o pai, mas sim o planeta. O verbo “está” indica estado, uma maneira em que o planeta se encontra. O sujeito seria o planeta que se encontra em uma situação delicada.

Leia a imagem abaixo:

“Chove chuva, chove sem parar”

A partir dessa imagem, podemos fazer algumas inferências:

1-) O clima é chuvoso.
2-) Duas pessoas estão conversando;
3-) As roupas remetem que elas certamente moram num lugar mais frio;
4-) Que elas estão adequadas ao clima em que se encontram.
5-) O título da imagem, remete a uma música chamada “Chove chuva” e é coerente com o clima presente na gravura.

O termo “Chove” é um verbo que está indicando um fenômeno da natureza. Não existe uma pessoa que pratique uma ação que possibilite o fenômeno da natureza acontecer, por isso dizemos que não há sujeito na oração.

Então, podemos afirmar que VERBO é a palavra que indica ação, estado, fenômeno da natureza, situados num determinado tempo, tempo este que pode ser: presente, passado e futuro.
Conjugações do verbo:

Leia a imagem abaixo:


Podemos afirmar que Mafalda está praticando três ações "sábias" em determinadas circunstâncias da vida: não falar, não ouvir e não ver.

Podemos dizer que na primeira situação, ela não fala.
Então o verbo falar está na sua forma infinitiva por terminar em AR.
Assim como o verbo ver, que termina em ER e o verbo ouvir, que termina e IR.

Na gramática normativa, exitem 3 conjugações, tais quais:

-AR, ( cantar, amar, chorar, estudar,...)
-ER, ( dizer, refazer, conter, vender,...)
-IR, ( sentir, sorrir, insistir, persistir,...)

=D OBS.: Há verbos que terminam em OR, como o verbo por e seus derivados ( repor, supor, compor). Estes fazem parte da 2° conjugação, pois antigamente ele era escrito “poer”.


Estrutura do verbo:

Os verbos são palavras que se formam a partir de alguns elementos essenciais, tais quais:

Radical: parte que contém a significação base da palavra.
Vogal temática: em alguns verbos, a vogal temática vem após o radical, indica qual é a conjugação do verbo.
Desinências: é a parte que indica tempo, modo, pessoa e número.

Exemplo:

RESPEITAR = respeit ( radical ) + A ( vogal temática indica a conjugação do verbo) + R ( desinência de infinitivo).

ESTUDEI = estud ( radical) + EI ( desinência indicando pessoa [eu], tempo [passado], modo [indicativo], número [singular] ).

AMARIA= am ( radical) + A ( vogal temática) + IA ( desinência de tempo, modo, número e pessoa).

CANTO= cant (radical) + O ( desinência de tempo, modo, número e pessoa).

Formas nominais do verbo:

São assim chamadas por possuírem funções equivalente às exercidas pelos nomes.

Exemplo:

Mafalda é uma menina viajada. ( função de adjetivo)
Mafalda é uma menina que vive viajando.




No segundo quadrinho existem alguns verbos que não se referem a nenhuma pessoa específica, por exemplo, o verbo “trabalhar”.

As formas nominais do verbo são três:

Infinitivo ( é o nome do verbo, expressa um verbo sem ser cnjugado)= tema+ desinência “-r”, ou seja, trabalha+ r.
Gerúndio (expressa ação que ainda está em andamento) = tema+ desinência “-ndo”, ou seja, trabalha + ndo.
Particípio (expressa ações que já foram concluídas) = tema + desinência “-do”, ou seja, trabalha+ do.

Locuções verbais:


Variações do verbo:

Verbo é a classe de palavra mais extensa da gramática por possuir inúmeras variações, tais quais:

  • variação de modo.
  • variação de tempo.
  • variação de pessoa.
  • variação de número.
  • variação de voz.

Estudaremos cada uma delas:

Flexão de modo:

Veja as orações abaixo:

Fique atento! ( o verbo expressa ma ordem, pedido ou um conselho. Este sentido que o verbo exprime chamamos de IMPERATIVO.).

Eu fico atento às explicações do professor. ( o verbo expressa uma certeza. Este sentido que o verbo exprime, chamamos de INDICATIVO.).

Se eu tivesse atento, entenderia a explicação do professor. ( o verbo expressa uma possibilidade de atenção por parte do aluno. Este sentido do verbo, chamamos de SUBJUNTIVO.).

Imperativo → ordem, pedido, conselho.
Existe dois tipos de imperativo:

Afirmativo:

2° pessoa do singular e plural ( tu e vós ) são conjugados no presente do indicativo sem o “s” + presente do subjuntivo para as outras pessoas do verbo.

No indicativo seria: Tu estudas, Vós estudais. No imperativo será:

Estuda Tu ( 2° pessoa do singular, do presente do modo indicativo sem o “s”).
Estude Ele (3° pessoa do singular, presente do subjuntivo).
Estudemos Nós ( 1° pessoa do plural, presente do subjuntivo).
Estudai Vós ( 2° pessoa do plural, do presente do modo indicativo sem o “s”).
Estudem Eles ( 3° pessoa do plural do presente do subjuntivo).

Negativo:

Acréscimo da palavra não antes de conjugar os verbos:

Não Estudes Tu ( 2° pessoa do singular, do presente do modo indicativo sem o “s”).
Não Estude Ele (3° pessoa do singular, presente do subjuntivo).
Não Estudemos Nós ( 1° pessoa do plural, presente do subjuntivo).
Não Estudei Vós ( 2° pessoa do plural, do presente do modo indicativo sem o “s”).
Não Estudem Eles ( 3° pessoa do plural do presente do subjuntivo).

Subjuntivo → possibilidade, dúvida.

Ex: É preciso que eu faça as atividades para emagrece mais. ( presente)
Ex: Se eu fizesse as atividades físicas, emagreceria mais. ( pretérito imperfeito)
Ex: Quando eu fizer as atividades físicas, emagrecerei mais. ( futuro)
Indicativo → certeza.
Flexão de número e pessoa:

Número: ao lermos textos, observamos que alguns verbos podem estar no SINGULAR ou no PLURAL.

Veja o exemplo no trecho da música:

“ Todos os dias quando acordo, não tenho mais o tempo que passou, mas tenho muito tempo. Temos todo tempo do mundo”

O verbo ter variou de singular para plural, ou seja:

(eu) Tenho.
(Nós) temos.

As pessoas do discurso são:

SINGULAR PLURAL
(1°) EU NÓS
(2°) TU VÓS
(3°) ELE ELES

Flexão de tempo:

O verbo na oração pode indicar que a circunstância aconteceu num determinado período de tempo:

PRESENTE ( situação que acontece no momento atual).

PASSADO OU PRETÉRITO ( situação que já ocorreu num tempo passado).
O passado dos verbos estão divididos em:

1-) perfeito ( ação acabada que aconteceu no passado.).
Ex: Eu almocei no girafas ontem.

2-) imperfeito ( ação que aconteceu no passado com frequência, dando ideia de continuidade.).
Ex: Eu sempre almoçava no Girafas.

3-) mais-que-perfeito ( expressa ideia de uma ação ocorrida no passado e anterior a outra ação também passada:
Ex: Quando ele me ligou, eu já almoçara no Girafas.
Ex: Quando ele me ligou, eu já tinha almoçado no Girafas.

FUTURO ( situação que ainda estar para acontecer).
O futuro pode ser dividido em:

1-) Futuro do presente ( ação que acontecerá num futuro em relação ao presente).
Ex: Estudarei bastante verbos.

2-) Futuro do pretérito ( ação futura que teria acontecido mediante uma condição que tivesse sido atendida antes.).
Ex: Eu estudaria mais os verbos se eu os compreendesse mais.

Veja no exemplo abaixo:


No primeiro quadrinho o verbo ser em “ quando eu era jovem” expressa uma ideia de passado.
Já no último quadrinho, o verbo sentir em “ agora, já não sinto” está empregado no presente indicando a circunstância daquele momento atual.

Flexão de voz:

Quando vos ouvirdes falar em “ voz” do verbo, esteremos falando da relação entre sujeito e ação.

Pode ser classificada em 3:

ATIVA: O sujeito pratica a ação. O sujeito é conhecido como “sujeito agente”da ação.

Ex: Os jardins enfeitam as ruas.
Sujeito voz ativa

PASSIVA: O sujeito recebe a ação, O sujeito é conhecido como “ sujeito paciente” da ação.

Ex: As ruas são enfeitadas pelos jardins.
Sujeito voz passiva




REFLEXIVA: o sujeito pratica e sofre a ação cometida por ele mesmo:

Ex: As flores se enfeitam de cores alegres.
sujeito Voz reflexiva


Verbos regulares e irregulares:

Para saber se um verbo é regular ou irregular, basta conjugá-lo no presente do indicativo e no pretérito perfeito.

Regulares são aqueles que conservam o radical e a terminação verbal, em todos os tempos verbais.

Ex:

O verbo cantar

No presente do indicativo:
Eu cant o
Tu cant as
Ele cant a

No pretérito perfeito
Eu cant ei
Tu cant aste
Ele cant ou

Perceba que o radical não varia.

Irregulares são aqueles que tem o radical ou a terminação verbal modificada.

Ex:

O verbo ser

No presente do indicativo:

Eu sou
Tu és
Ele é

No pretérito perfeito:

Eu fui
Tu foste
Ele foi

Professora Andressa Fabião

Nenhum comentário:

Postar um comentário